Sindicato rechaça cláusula

TAICUPAM não aceita quitação total da Subsea 7

Sindicatos marítimos se reuniram em janeiro com a Subsea 7 para tentar reduzir o impacto do Programa de Demissão Voluntária na empresa.

A desativação de contratos da Petrobras com empresas de navegação também atingiu a Subsea 7, conforme informaram representantes da companhia no encontro que aconteceu na sede da Federação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aquaviários e Afins.

O gerente de Recursos Humanos da Subsea 7, Rodrigo Ribeiro – acompanhado do assistente Pompílio Rosa e do avogado Leandro Abreu – explicou que pelo menos três navios serão desmobilizados. Um deles já em fevereiro, revelou.

A reunião terminou em impasse, pois houve consenso sobre o risco do documento que oficializa o desligamento em massa. Os sindicatos advertiram que o acordo tem grande chance de ser impugnado pelo Ministério Público do Trabalho.

– O ponto crucial da discórdia é a cláusula que dá como quitadas, e sem discussões futuras, as verbas indenizatórias. Não aceitamos a proposta na mesa-redonda, até porque é preciso consultar as bases em assembleia a ser convocada – resumiu Ossian Quadros, presidente do TAICUPAM, após o encontro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *